English readers and other languages: Many posts are in portuguese, you can use the Translate button at left side.

Clique nas imagens dos artigos! Elas levam você para o site do artista que a criou e muitas
vezes tem assuntos relacionados ou outras imagens para expandir seus horizontes!
Mostrar mensagens com a etiqueta Goetia. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Goetia. Mostrar todas as mensagens

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Goetia Vai Resolver Meu Problema? Ou Outra Magia?




Goetia Vai Resolver Meu Problema? Ou Outra Magia?

Este artigo inicialmente começou a ser escrito sobre a Goetia, mas refere-se a muitas outras áreas da magia em geral.

Quando as pessoas procuram por soluções por magia, percebem que estas têm muitas alternativas e diferentes caminhos, mas nem sempre está claro o que realmente será feito, nem como isto funciona.

Basicamente as pessoas em geral vão encontrar anúncios e sites ou blogs oferecendo listas de “soluções prontas” até bastante genéricas. Outras ouvem sugestões de pessoas conhecidas.
Porém muitas vezes isto é o mesmo que busca por automedicação, que tantas vezes as pessoas são alertadas pelos médicos. Existem algumas coisas que as pessoas podem usar com uma certa segurança, um curativo Band-Aid, as vezes algum medicamento popular. Mas em tantas outras, é necessário que um especialista avalie a situação. Até mesmo uma simples analgésico (remédio para dor) pode ser perigoso e mascarar algum problema mais sério.
A mesma coisa nas muitas áreas do ocultismo e da magia em relação a vida das pessoas.

Algumas atividades que fazem parte das áreas espirituais e mágicas podem ser feitas pelas próprias pessoas, sem riscos maiores. Por exemplo, oração em prol de boas causas, acender uma vela para seu anjo da guarda, são técnicas espirituais simples e que ajudam e muito.
Mas quando se trata de buscar práticas em magia para mudar situações, encontrar soluções para mediar ou até solucionar conflitos pessoais ou em relação a outras pessoas, situações de negócios que podem envolver muitas áreas, etc. isto certamente terá um nível que requer mais atenção.
Veja, é muito diferente sugerir acender uma vela para seu anjo da guarda, ou para um santo católico, uma divindade como Buddha e outra bem diferente é fazer o mesmo para daemons ou outros espíritos pois existem vários espíritos que mesmo atuando em tantos aspectos práticos da vida humana, muitas vezes não são algo fácil de se lidar e podem ser perigosos e até trazer outros problemas.

A Goetia tempo tem sua reputação, boa ou má, tanto entre as pessoas em geral quanto entre praticantes de magia, que diferem muito entre si e principalmente os iniciantes que muitas vezes pretendem logo de início conseguir resultados grandiosos.

É importante observar que muitas coisas possíveis de se lidar com a ajuda da magia podem ser feitas de forma até simples mas tão eficazes as vezes quanto outras práticas mais elaboradas. Se os resultados são os desejados então pessoalmente acho preferíveis.
Já comentei a respeito disto no artigo Ok, So You Think That Magick is So Simple? (Ok, então você acha que a magia é tão simples?) que é um texto dedicado a magistas de todos os níveis e público em geral, pois as vezes as pessoas esquecem que justamente nas coisas mais simples podem estar grandes soluções.

É importante notar que magia simples não significa uma solução assim tão fácil de encontrar ou muito menos que seja barata.

Outras áreas de magia podem ser adequadas também, e a experiência de cada magista é quem vai decidir por alguma área específica.
Eu sou Universalista, e sempre trabalhei em mais de uma área, mergulhando nos estudos mas sem exclusividade. Isto e devido ao aprendizado que tive nestas décadas, assim por algum tempo dediquei-me mais a fundo nalguma área ou noutra, e depois retornando até as práticas que prefiro mais, como a magia cerimonial, os grimórios medievais, meditação e o aprofundamento no Tarot.
Com toda certeza na minha opinião não se trata de que uma área seja melhor que a outra, mas esta poderá estar adequada para a situação que eu esteja analisando.




Alguns passos que considero necessários antes de se decidir fazer um trabalho em magia

Cada pessoa tem uma visão pessoal do mundo, uma história de vida e seus próprios problemas que para ela certamente são os mais importantes.
Esta visão pessoal também está relacionada ao ambiente em que vive, família, sociedade, empresa, etc. cada um terá algumas ideias pré-concebidas a respeito do mundo e portanto, limitada ao que conhece.
De uma maneira geral, cada pessoa faz parte de um grupo ou até uma multidão, que compartilha certas informações e crenças. Mas a sua visão é limitada ao alcance de sua visão.
E aí começa o nosso trabalho para olhar de um ponto mais acima e assim ver mais longe aquilo que não é visto, tantas outras possibilidades.
Mas apenas isto não é suficiente. Não basta ter uma visão mais ampla, isto é apenas informação que pode ser acessada até por vidência ou com a ajuda de espíritos.
Um exemplo bem simples é a TV e a internet, que proporcionam imagens e informações de todas partes do mundo, mas mesmo assim as pessoas em geral estão limitadas aos seus próprios muros pessoais.
E o que falta? Entendimento sobre o que se enxerga e saber o que fazer com aquilo.
Para encontrar uma solução é preciso primeiro avaliá-la.
Então como avaliar a vida humana, os grupos sociais, as empresas e por que e quando a magia está mais ou menos relacionada com as necessidades da situação?
Isso tem a ver com a aprendizagem e experiência prática.
Claro que não sou uma lei universal, mas tive uma longa experiência pessoal intensamente vivida. Eu não sei tudo e tenho os mesmos problemas pessoais que as demais pessoas tem em todas as áreas. Com a vida aprendi a olhar a uma certa distância para tantos que se apresentam com excessiva autoconfiança ou até superpoderes. Ao longo da vida eu tive problemas terríveis e também experiências maravilhosas tantas vezes, e tudo foi somando à minha experiência de vida pessoal e profissional nas áreas de tecnologia e empresas. E em todos esses anos também a observação da vida das demais pessoas e suas experiências que somam ao meu aprendizado. E é isto que agrego ao meu trabalho com a espiritualidade, quando chamo as forças maiores que vão acrescentar todo um outro nível de informação e orientação.

Portanto, o primeiro passo antes de um trabalho em magia é justamente observar a pessoa e o que ela sabe a respeito de sua própria vida e o que está acontecendo.

Que tipo de problema você “pensa que tem” VERSUS que tipo de problema você “realmente tem”. 

Sempre é necessária avaliação de cada caso, um simples motivo pelo qual não faço nenhum trabalho em magia sem uma consulta específica para o assunto. Eu não vendo “rituais”. Eu trabalho com orientação e atividades em magia, que serão feitas como tarefas e não apenas unidades individuais e que só vou fazer se achar que existem possibilidades num nível que eu possa considerar aceitável.
O primeiro objetivo das minhas consultas é para aconselhamento e orientação sobre a vida da pessoa, observar e analisar causas e possibilidades que existam ao natural para a situação. Isto inclui boa parte das vezes aspectos da pessoa que ela nem sempre está percebendo, um motivo pelo qual minhas leituras costumam ser relativamente longas.
Ou seja, eu não vou fazer uma leitura de Tarot específica sobre uma determinada magia que a pessoa venha solicitar. Muito pelo contrário, eu não trabalho com uma “lista de compras” onde a pessoa escolhe o que quer e pega na prateleira. São tarefas repito, e que poderão ter muitos rituais adicionais que as vezes só vou descobrir a medida que as coisas evoluem e preciso ter uma certa antecipação sobre isto.
Então no meu trabalho a pessoa me diz o que está precisando, mas quem avalia e decide o que e como fazer serei eu e isto será sugerido para avaliação com todas as considerações a respeito. 
Tem muitos casos em que a pessoa é quem precisa mudar alguma coisa. Noutras tantas vezes quem sabe uma “limpeza” que a própria pessoa pode fazer, como banhos de ervas e algumas práticas que poderão mudar sua energia e seu ponto de vista para só depois cogitarmos algo diferente ou mais avançado.

Não adianta fazer magia sem participação da pessoa que está pedindo por isso. Não é uma encomenda que vai chegar rapidamente pelo correio, nem como um comprimido que a pessoa pega na farmácia e pronto. Alguma parte ela também vai ter que fazer, no mínimo observar atitudes pessoais, as vezes mudar de hábitos, descobrir e praticar habilidades. A magia é para auxiliar nestes processos e por isso repito, nem sempre são necessários recursos maiores e trabalhosos.
Citando uma frase muito usada em palestras de motivação: “se você quer mudar alguma coisa na sua vida então é você quem vai ter de mudar alguma coisa na sua vida”.

Acho oportuno citar o que recém citei sobre trabalhar por “tarefas”. Algumas coisas vão se desenrolar com o andamento dos trabalhos. Uhm?
Mas como assim, meus oráculos não são tão poderosos? Minha vidência seria ruim ou a minha própria visão espiritualista não enxerga tudo que acontece no universo?
A resposta é simples: Não. Conheci bons videntes. Mas depois de mais de três décadas apenas citando o caso do Tarot eu tenho muita confiança nas minhas leituras e visão pessoal. Mas ninguém enxerga tudo e minha visão por mais correta que esteja, pode eventualmente estar limitada por algum motivo.  Se for na área humana, depende apenas de experiência, principalmente quando é comum que algumas pessoas tentem ocultar alguma coisa. Mas se for alguma coisa relacionada aos reinos espirituais, ou melhor, influência de espíritos que tem muitos reinos diferentes, a coisa pode as vezes ficar diferente.
Repito, ninguém enxerga tudo. A menos que você consiga uma consulta pessoal com o próprio Buddha, Jesus ou Krishna, é pouco provável que se tenha tanto alcance de visão.
Veja, temos milhares de linhas espirituais e de magia no planeta. Absolutamente nenhuma doutrina ocultista cobre todas elas. E mesmo que eu conheça algumas delas, ainda assim não cobrem tudo. E muitos existem espíritos capazes de se disfarçar de muitas maneiras, mesmo nas áreas em que trabalhei por tanto tempo isto acontece de alguma maneira.  Então nalguma situação pode demorar para que sejam finalmente descobertos e novamente, aqui eu repito que trabalho por tarefas. É algo muito raro com toda certeza, mas eu preciso alertar as pessoas sobre esta possibilidade e certamente preciso me precaver.
E como eu atendo pessoas de muitos países do ocidente ao oriente, os meus exemplos se referem várias culturas diferentes.
Eu tive três casos assim, coisas que passaram despercebidas, e acompanhados por outros colegas todos notórios magistas em muitas áreas, e demorei um certo tempo de trabalho até descobrir as causas todas as vezes. Para citar um exemplo, um caso bem complicado foi de um europeu, que viajou muito pelo mundo, e a fonte dos ataques eram de antigas práticas de magia dos povos do oriente (Vietnam, Coréia e China). Um tipo de prática que a maioria das pessoas só vai ter uma ideia através de filmes de terror orientais.
Na maioria das vezes logo nos primeiros rituais os espíritos com quem trabalho podem apontar alguma coisa que não tenha sido percebida, e terei que lidar com isto por minha própria conta, a menos que seja uma situação muito extrema é claro e neste caso obviamente apresentarei toda necessária situação para que o cliente possa avaliar e decidir também.
Também pode ocorrer já durante a execução dos rituais, que os próprios espíritos sugiram que na sequência sejam feitas outras atividades que estão relacionadas a vida da pessoa.
Enfim, eu preciso pensar nestas possibilidades ao avaliar uma tarefa e é por isso que em certos casos os valores serão bem razoáveis pelo trabalho previsto.

Qual é o alcance da magia? Algumas áreas de magia parecem ser mais adequadas para serem praticadas até de forma local, com a presença das pessoas. Mas de uma forma geral, eu não concordo muito com isto e depende da capacidade do magista ou sacerdote se conectar com as pessoas seja onde estiverem.
Veja, se você pode ligar a internet agora mesmo e assistir um canal de TV no Japão, conversar com outra pessoa nos Estados Unidos, trocar mensagens com alguém na Europa, então porque a magia não teria um alcance muito maior já que as esferas espirituais não dependem de fronteiras?
Claro que algumas atividades realmente precisam da presença física da pessoa, mas estas são de cunho restrito e bem específicos. Alguns banhos deveriam ser aplicados por um sacerdote, para evitar que a pessoa contamine a si mesma com as energias que são liberadas e deverão ser tratadas no ato pelo sacerdote.
Mas de forma geral, boa parte dos banhos de ervas podem ser feitos pela própria pessoa, assim como certas orações e tantas outras coisas que eu prefiro orientar as pessoas a fazerem por si mesmas. Então por que eu iria cobrar por uma coisa que posso fornecer orientação na própria consulta?
Eu prefiro cobrar por coisas que eu tenha de fazer, que requerem preparo e não posso repassar devido ao longo tempo de estudo e preparação necessário.
Eu poderia explicar como montar um talismã, por exemplo, mas e os anos de aprendizado necessário para ativá-lo e consagrar adequadamente? Isto não tem como ensinar numa consulta e novamente, na maioria das vezes não é intenção do cliente tornar-se um magista. Ele apenas tem necessidades e que vou trabalhar para ajudar como possível.

A maioria das atividades não não precisam da presença da pessoa. Existe uma popularização em certas áreas sobre realizar os rituais na frente do cliente o que já demonstra que realmente e com razão, as pessoas não confiam muito no que estaria sendo feito. Então se a pessoa não confia, por que mesmo assim insiste em realizar algum determinado trabalho? É necessário buscar referências sempre, e melhor ainda se for de pessoas de fora.

Sobre ter um visitante em rituais de magia, logo de cara eu vejo um problema técnico bem sério: segurança.
Se eu vou chamar por espíritos diversos, sejam anjos ou demônios, ainda assim podem vir espíritos intrusos. Tanto uns quanto os outros, podem influenciar o visitante de alguma maneira e estes precisam obrigatoriamente ser protegidos. 
Certamente existem atividades públicas, seja de magia mais simples, ou como algumas realizadas em templos de religião africana e tantas outras áreas como algum Sabbath aberto a visitantes.  Com toda certeza estas atividades não vão estar lidando com coisas muito pesadas ou até secretas. Existem algumas coisas até mais fortes, mas ainda assim que terão obrigatoriamente magistas ou sacerdotes que serão responsáveis para assegurar que os visitantes não sejam afetados negativamente.
Claro que esta é uma situação ideal, mas nem todos sacerdotes e magistas observam isto e expôem seus clientes e visitantes a riscos desnecessários. Geralmente apenas para promoção pessoal.
Quantas e quantas vezes eu escuto alguém me relatar que foi até numa sessão pública nalgum lugar, ou participou de um ritual ao vivo e sentiu-se muito mal por muito tempo depois, até tendo a vida pessoal afetada. Isto não é porque "mexeu com alguma energia dela". Isto foi proposital para depois vender outro serviço de limpeza ou sugerir que a causa seriam "inimigos" que a pessoa na verdade jamais teve.

Isto vale até para as muitas áreas de terapias alternativas. Realmente muitas são ótimas e recomendo.
Porém, tantas e tantas vezes eu vi pessoas realizarem algum tipo de atividade com "terapéutas" sem a devida formação e sairem mal até de uma sessão individual de terapia de apenas uma hora.
E a desculpa que apresentam? Ah, isto seria porque a pessoa "contatou" com alguma energia que precisa ser trabalhada. Ou seja, uma arapuca para manter a pessoa por mais tempo. é muito fácil em áreas de terapia, fazer a pessoa contactar algum problema pessoal que esteja no subcosciente e traze-lo a superfície de novo. Se ocorrer, deverá ser imediatamente trabalhado.
Em hipótese alguma alguém pode sair mal de um trabalho de terapia da mesma maneira que num trabalho de magia. Ponto.

Até pode acontecer algo inesperado, mas aí para magistas principalmente, mas neste caso faz parte do nosso trabalho e estes saberão o que estão enfrentando a princípio. Se bem que os novatos nem sempre sabem com o que estão lidando e depois aparecem nos foruns pedindo ajuda.
Mas se for com um cliente ou visitante, obrigatoriamente o magista ou sacerdote deverá esclarecer muito bem o quê e o porquê da situação e fazer todo possível da forma mais rápida para solucionar a situação. E eu digo, muito rápido mesmo.

Rituais de alta magia como boa parte dos grimórios medievais e aqui citando a Goetia, podem ser muito perigosos para o magista e muito mais para um despreparado visitante ou cliente que esteja junto. Tanto pelos próprios espíritos evocados quanto por eventuais forças intrusas que muitas vezes podem aparecer durante a operação.
Junte a influência dos espíritos com a parte emocional e espiritual de quem esteja presente e podemos ter uma bomba prestes a explodir.
Lembro que certa vez numa atividade pública, fiz um muito simples ritual para evocar as energias do quatro elementos, algo bem simples mesmo, para contatar com as energias da terra, Fogo, Água e Ar. O resultado foi que uma das pessoas prontamente surtou, pegou um espírito parasita que apareceu por ali e tive que fazer no ato um trabalho de desobsessão e também com os demais que ficaram em pânico com a coisa. Isto deveria ter sido um simples ritual para inocentes fadinhas num lindo recanto da floresta.
Vi pessoalmente outros casos muito piores. Portanto, visistantes não!

Realizar um ritual de magia envolve experiência dos praticantes para sua própria proteção pessoal antes de tudo. Lidamos com energias que podem ser muito perigosas. Magia jamais é um espetáculo de circo, e em hipótese alguma é um show público como tem até vídeos por aí oferecendo rituais públicos de Goetia.
Num ritual de magia cerimonial, se outra pessoa estiver presente, esta terá que ser treinada, orientada e protegida pelo magista responsável. E se algumas pessoas pensam que num ritual destes vão ter visões fantásticas, lamento, geralmente vão sair decepcionadas. Repito, magia não é teatro nem número de circo.







Vamos abordar um pouco sobre as possibilidades com os espíritos da Goetia.

Dependendo do autor, alguns podem idolatrar a Goetia enquanto outros podem dizer que é algo funesto e maligno. Para alguns é uma coisa superficial, para outras é uma abordagem séria. E como tudo, uns a tomam de forma leviana e outros podem ir a estudos e práticas muito interessantes.

Seria a Goetia uma espécie de magia superpoderosa para tudo?
Certamente a Goetia é poderosa, mas não deveria ser usada para tudo. Mais acima comentei a respeito da possibilidade de usarmos outras áreas diferentes, sejam mais simples ou não.
Muitos casos eu prefiro a abordagem planetária/angélica devido as diferentes maneiras de atuação e também porque estas esferas têm características mais focadas ao desenvolvimento da pessoa enquanto a Goetia as vezes pode ser algo até mais imediato, mas as vezes sem tanta durabilidade, conforme o caso.
Claro que tem atividades na Goetia que vão trazer resultados por longo tempo. Por exemplo, trabalhar com os daemons que ajudam no aprendizado de certas áreas, como nas ciências e assim a pessoa realizar com sucesso seus trabalhos e estudos. Certamente certas tarefas terão trabalhos continuados e de tempos em tempos é adequado que sejam renovados. Será uma ajuda poderosa, mas a pessoa terá que fazer sua parte também, dedicando-se e aproveitando as oportunidades.


Como qualquer área de magia, a Goetia não é infalível. Não importa quem faça nem o seu discurso de vendedor.

Ninguém pode assegurar resultados em magia e faço questão de comentar um pouco mais sobre isto na página relativa a consultas e trabalhos. Existem milhares de situações e trabalhamos com possibilidades. Quanto maior a possibilidade, maior a chance.
Da mesma maneira, um médico também não pode assegurar resultados. Um advogado também não pode assegurar seus resultados. E por melhores que sejam as chances, é possível que surjam outros eventos ou até mesmo da parte de quem está pedindo, que vão influenciar nisto.
Para constar um comentário sobre os aspecto jurídico, extraído justamente de uma lauda relativa a isto:
"Na interpretação do juiz, o contrato firmado entre os dois é um contrato de meio, em que não se pode esperar resultado certo. É a mesma situação de um médico. O serviço é contratado na esperança da cura, mas, caso ela não ocorra, não se pode responsabilizar unicamente o profissional. O que é contratado ... é o serviço e não o resultado. - Pedro Canário - Revista Consultor Jurídico."
Certamente a pessoa contratada deverá realizar a sua parte e no melhor de sua capacidade. Outro motivo pelo qual eu falo que trabalho por "tarefa" e dentro desta sou eu quem tenho a avaliação e decisão de outras coisas que estarei fazendo dentro de critérios razoáveis é claro, mas certamente sou o primeiro a ter interesse no sucesso da operação ou de ter no mínimo os necessários esclarecimentos e análise relativos aos eventos.
Agora, se a pessoa vai ao médico porque está com Efisema pulmonar devido ao tabaco, e continuar fumando, certamente não poderá reclamar muito, Ok?
Da mesma forma se a pessoa tem problemas no seu relacionamento, e tantas vezes verificamos que a ela própria faz parte do problema, portanto, também causa problemas, de nada adianta trabalharmos se esta não mudar suas atitudes e muito menos, se logo após um ritual, poucas horas depois pula em cima da outra pessoa achando que teve algum resultado milagroso. Certamente não terá e pode até destruir todo serviço feito. 

Muitas vezes as pessoas vão atrás das ofertas milagrosas, promessas de resultados fáceis e baratos.
E aqui, nem se trata de falta de informação, mas pura cobiça e egoísmo. Não aceitam que as coisas possam ser de outra maneira. Consideram a si mesmo como sendo os donos da verdade. Curiosamente muitos são justamente religiosos. O problema é que querem do seu jeito e não aceitam considerar alternativas, mesmo que sejam melhores.  
Esta procuram apenas resultados de forma fútil e por este lado, é até melhor quando não ocorra o resultado pedido. É como uma brincadeira de bêbados. Porém para muitos destes, tais coisas podem resultar em serem atacados por algum tipo de energia ou espirito negativos que vão influenciar suas vidas e a maioria nem percebe.
Casos clássicos e muito extremos por certo, são a pessoa até cometer suicídio porque nem os demônios ajudaram. Ou então se revolta, acha uma solução mais fácil ainda e se converte para nalguma igreja de supostos milagres e riqueza fácil. Logo mais está no seu próprio programa de TV confessando seus fracassos e como colocou terra em cima para esconder seus reais motivos atuais.
Quem sabe o adolescente se desaponta logo ao início por não conseguir grandes poderes facilmente na magia. Então vai para a área de software, consegue realizar uma grande companhia onde na verdade é um tirano e nem se importa com isso, afinal, sua empresa agora está na Nasdaq.

O que eu posso dizer é que na ampla maioria das vezes algum tipo de resultado vai certamente acontecer, mesmo que seja para mostrar o porquê não é possível ou talvez nem desejável, ou outros eventos diretamente relacionados.Sempre é um aprendizado tanto para o cliente quanto para quem faz a operação. Eu estou sempre aprendendo com minhas atividades, outro motivo para persistir e buscar fazer o melhor que possa.

Muitas vezes o que as operações de magia trarão serão justamente oportunidades! Ou seja, serão criadas possibilidades e situações de alguma forma influenciadas pelo trabalho dos espíritos. E é necessário aproveitar a oportunidade! Às vezes a pessoa não aproveita ou até usa mal o que conseguiu. Bem, os espíritos fizeram sua parte. Noutras vezes o resultado parece diferente, mas logo se descobre estar ligado diretamente ao que foi pedido.
Um exemplo que gosto de citar, de um magista bem experiente, estava divorciado e com o tempo sentia-se sózinho e pediu por um Amor verdadeiro. Ao que lembro, este ritual foi na área planetária/angélica. Dias depois escutou barulho na porta de casa e ao abrir encontrou um filhote de gato pedindo para entrar. Foi o amor verdadeiro que ele precisava, supriu todas suas necessidades de carinho e cuidados e uns 2-3 anos depois, aí sem carências, encontrou sua atual esposa com quem fez família e alguns filhos e estão muito bem.

E tem possibilidades muito mal aproveitadas.

Vou citar um exemplo bem ruim, resultado de uma atividade que fiz faz quase duas décadas e nem eu acreditei devido a rapidez do resultado. Mas o resultado foi horrível de se ver.
Basicamente reaproximar um casal, área que pode ser simples, difícil ou tantas vezes melhor nem tentar. O cliente, com alto poder aquisitivo e de influência perdeu sua amada e estava desesperado com isto. Ela literalmente fugia dele e tinha sumido. Mas tudo mostrava problemas de diálogo entendimento. Então muitas orientações foram feitas a respeito. Ela gostava dele, só não conseguia mais suportar seu jeito. Situação para abrir caminhos novamente, observar situações pessoais, limpar o negativo acumulado e então se entenderem entre si. Enfim, chegarem a conversar claramente a dois como adultos.
Ok. Parecia até simples, tanto que o valor foi bem baixo mesmo. Uma fração do que cobro hoje. (a gente aprende com as coisas que podem vir depois). Ritual feito e então a parte que nem eu acreditei: apenas dois dias depois ele se encontrou de novo com ela numa academia de ginástica. Lembre, eu disse que magia vai criar possibilidades. E dois dias? Uau! Eu esperava demorar três meses. Fantástico até que...
Bem, foi o que ele teve. A grande oportunidade de novamente estar com ela, conversarem e acertar os pontos falhos. E o que o idiota fez? Conversaram, jantaram e até passaram a noite juntos. E o idiota (faço questão de repetir que o cara é um grande idiota) aproveitou para descobrir onde ela estava morando e em que empresa estava. Na manhã seguinte arrasou com a vida da mulher. O idiota destruiu a vida dela de novo porque ela não se atirou imediatamente aos pés dele. Literalmente. O idiota "senhor poderoso" usou sua influência e em minutos fez ela perder emprego e moradia literalmente obrigando a jogarem as coisas dela na rua. Depois de perder o emprego ela voltou para casa e encontrou suas coisas literalmente na calçada e a proprietária morrendo de medo por causa das ameaças nem quis conversar com ela. Uhm?
No dia seguinte este idiota ainda me procurou de novo, reclamando do serviço porque ela não se jogou aos pés dele (ele usou literalmente esta frase), chorando prá valer porque ela não voltou imediatamente a morar com ele e queria outro "feitiço" mais forte ainda. Para quê? Destruir de novo com a pessoa que ele dizia "amar"??? E pior ainda, no mesmo dia ele viajou quase 300km para buscar a irmã da sua empregada doméstica (que era sua amante) para ter as duas como escravas sexuais na sua cama a seu dispor quando quisesse. Descobri que não recebia nada além do salário de doméstica por isso. Faz tempo, eu na época ainda lidava mais com outras áreas e tinha muita compaixão com as pessoas. Então eu não tinha percebido esta parte, mas aprendemos com o tempo. Foi fantástico! E para completar, ainda foi explícito em dizer que pagaria menos do que ele gastou apenas em gasolina para buscar mais uma amante. Recusado certamente e pedi que não me procurasse novamente. Nem pelo valor dos muitos automóveis importados dele eu faria outra coisa. 
Faz muito tempo, mas essa foi um enorme aprendizado para mim também. Certamente para ele o que fiz não prestou. Por outro lado, já que as energias seguem atuando, pelo que soube tempos depois, por algum motivo, a jovem filha dele acabou se juntando com um velho do mesmo tipo dele, asqueroso, seboso, mas pobre mesmo. E como castigo adicional, o papai safado teve que sustentar os dois. Não fico feliz com isto com certeza, mas são coisas que acontecem e a gente vai aprendendo. E não quero outra destas por certo.




Magia não assegura controle sobre alguma situação mas influenciar para se ter possibilidades melhores, ser visto de outra forma, estar alerto para situações que a pessoa não perceberia e usarmos estas em nosso favor. Depois é que entram outros aspectos mais conhecidos, como influenciar energias e situações. Percebe isto? Mesmo que alguma situação seja trabalhada através da magia a própria pessoa também terá de estar conectada a isto e fazer sua parte. 



Última alternativa ou primeira alternativa?

Ok, temos agora alguma ideia sobre o escopo, a abrangência das áreas da magia, incluindo a Goetia.
Então por que alguém usaria algo mais poderoso quando uma alternativa mais simples ou diferente seria possível?
Quem vai usar uma bazuca contra um mosquito? Certamente o mosquito terá um grande susto! Mas também o excesso de força aplicado poderá causar outros problemas.

Bem, um dos motivos de logo de início buscar algo mais poderoso é pela praticidade. A busca por resultados imediatos.
Novamente lamento, resultados muito imediatos na maioria das vezes entram na categoria de milagres e até de contos de fantasia.
Certamente alguns casos tem resultados relativamente rápidos, digamos, entre um a três meses para uma faixa razoável. Algumas coisas podem estar acontecendo em uma semana, temos vários casos assim, mas tudo depende de várias situações tanto pessoais quando do ambiente relacionado ao assunto.
E depende do que está sendo feito, para quem e quais sejam os objetivos. E também qual será a resistência do “alvo” da magia. Algumas pessoas parecem até ser imunes a magia, ou apenas são tão teimosas que mesmo com o mundo caindo ao seu redor não levantam do sofá. e outras pessoas têm proteções de algum tipo. Motivo pelo qual sempre é necessário observar muito bem o que está sendo feito.
É muito desagradável descobrir que uma magia feita para influenciar uma determinada situação, apresenta como resultado descobrir que do outro lado tem outros feiticeiros trabalhando para proteger o alvo. Por exemplo, grandes companhias, políticos e pessoas muito famosas.
Quer tentar atacar um grande político ou empresário? Tenha certeza de que não é tão simples assim e vai custar muito caro.

Assim é fácil perceber que a Goetia tem este aspecto bem conhecido: força. Realmente, tem espíritos muito poderosos. Mas novamente não se trata de usar uma aspirina nuclear para cada situação.
Por que um espírito muito poderoso, do nível de um Rei iria atender um adolescente totalmente inexperiente só porque deseja um encontro fácil com uma colega de escola?
Assim como são muito poderosos, nem sempre eles vão nos proporcionar todo seu poder. As abordagens com qualquer espírito sempre devem ser respeitosas de ambos os lados como princípio. E cada situação é negociada com o espírito de certa forma e também estará sujeita as possibilidades para o que se deseja.
E é claro, se a abordagem não for correta ou desrespeitosa isto pode resultar numa reação do daemon, geralmente algo um pouco desagradável, como alguns pesadelos, presenças importunando ao redor ou algum evento pessoal. Geralmente apenas um alerta do espírito. Mas em certos casos, podem resultar num período de problemas ou até a entrada de outros tipos de espíritos intrusos que se aproveitam da situação para sugar energia da pessoa.
Neste aspecto certamente são bem diferentes dos espíritos das religiões africanas, que por muitos motivos devem ser preferencialmente praticadas apenas por sacerdotes iniciados. É muito fácil um Orishá ou Exu fazer um grande estrago na vida de uma pessoa só porque fez uma oferenda de uma maneira errada. São algumas coisas que escrevi a respeito no livro Ritual Offerings. Algumas coisas podem perdurar por anos.

Ao avaliar alternativas também é necessário lembrar que uma determinada área pode ser bem diferente de outra. Cada uma tem suas particularidades e abordagens, mesmo que tenhamos coisas em comum e é necessário evitar misturas de práticas.
Podemos é claro ter diferentes rituais, para diferentes espíritos, mas cada um ao seu próprio modo e evitando conflito de áreas, senão uma coisa poderia anular a outra.
A medida que uma determinada situação for analisada, estudada e planejada é que teremos possibilidades de trabalho e que finalmente, de acordo com seu peso e importância nos levam a escolher por esta ou aquela área de magia.
Alguns casos eu posso trabalhar logo ao início com a Goetia, enquanto noutras situações eu preferi trabalhar por longos períodos noutras áreas, como as de magia planetária/angélica deixando para usar a Goetia em situações específicas.


Goetia é para o Mal?

Magia é para influencias os eventos do mundo, assim o conceito de bem e mal depende muito de quem faz e para quê.
Tentar influenciar uma disputa por uma vaga de emprego seria para o mal? Ou buscar melhores possibilidades?
É claro que prejudicar alguém de alguma forma tanto pode ser por mal ou até pelo bem. Mesmo assim, depende do caso. Se você precisar se defender de um criminoso que tentar prejudicar sua família, isto torna-se apenas legítima defesa.
A Goetia não tem nada a ver com espíritos baixos ou não evoluídos. Pelo contrário. Boa parte seriam antigas deidades das civilizações antigas. São espíritos antiquíssimos, conheceram milhares de gerações de humanos e certamente tem um entendimento bem diferente do nosso sobre a vida.
Da mesma forma, na sua maneira de agir, muitos anjos não são muito diferentes do que vamos encontrar nos espíritos da Goetia.


Muitas possibilidades

Cada um dos espíritos da Goetia tem muitas capacidades e não apenas o que está descrito nos antigos grimórios medievais. Estas outas habilidades são aprendidas ao longo do tempo pelo magista à medida que interage com eles e assim recebe novas informações e expande seu entendimento.
A descrição de cada um dos daemons da Goetia também por vezes precisa de interpretação, e desta forma percebermos que as mesmas palavras representam tantas outras coisas.
Muitas destas descrições parecem repetidas, daemons que teriam as mesmas capacidades, mas na verdade cada um age de maneira diferente. Existem sete categorias de espíritos e cada uma tem formas diferentes de atuação: Reis, Duques, Principes, Marqueses, Presidentes, Condes e Cavaleiros. 

Assim é muito diferente evocar um poderoso Rei, pois são eles quem regem sobre todos os demais, ou  um Marquês ou um Cavalheiro. Quanto mais alta a categoria maior o poder e a dificuldade de se lidar com eles. Por outro lado, as categorias abaixo tendem a ser mais práticas e trabalharem mais rápido também.
Chama-se um Rei para algo muito importante. São os chefões.
Duques são amigáveis e entendem os desejos das pessoas.
Principes são bons em negócios e para melhorar certos aspectos da vida do magista.
Marqueses trabalham de forma mais sutil e são bons para evitar crises. 
Presidentes são ativos, ágeis inteligentes e analíticos.
Condes são como soldados e seus resultados podem ser abruptos e até extremos.
Cavaleiros ajudam a entender os fundamentos dos demais e são próprios para operações de longo termo. 

Estas são apenas algumas qualidades das categorias é claro, e independente disto, alguns podem se revelar excelentes auxiliares e isto está muito relacionado ao relacionamento que o magista desenvolve com eles ao longo do tempo.
É comum que o magista com o tempo, passe a trabalhar apenas com alguns deles pois independente da descrição, eles podem agir em muitas áreas diferentes.

Sobre suas capacidades, por exemplo, alguns destes espíritos poderiam tornar uma pessoa invisível. Esqueça a capa mágica dos contos de fantasia e pense de outra forma. Isto pode simplesmente fazer a pessoa não ser notado por alguém ou por outros. Alguém que tenha um problema no local de trabalho poderia deixar de ser notado por algum rival. O problema é que deixaria de ser notado pelo seu chefe também. Ou se usado de forma mais ampla, deixaria de ser percebido pelos motoristas no trânsito e estaria sujeito a acidentes. De forma geral, não é invisibilidade, apenas as pessoas não prestam atenção a você por alguns instantes mas certamente se você estiver na mesma sala estarão conversando com você também. Ou poderão deixar de lhe dar atenção.
Outra capacidade muito interessante que nem sempre as pessoas observam, é que muitos dos espíritos da Goetia são ótimos para ensinar a respeito das mais diversas áreas, ciências, artes, engenharia, política, retórica, astronomia, etc. Isto certamente não é aprendizado instantâneo. O que eles fazem é ajudar de muitas formas para que este aprendizado ocorra, porém com melhor aproveitamento do tempo, ter inspirações sobre algumas coisas e até como aprender melhor.
Claro que se você pretende ser músico e pedir ajuda aos espíritos da Goetia, ainda assim terá que estudar teoria musical e praticar seu instrumento assim como ter uma disciplina diária de ensaios. Geralmente os bons músicos praticam de 8h a 12hs por dia. Todos os dias. E os gênios da música, podem passar mais tempo ainda praticando. Os espíritos da Goetia poderão lhe ajudar a entender as harmonias, o como as coisas funcionam, a descobrir outras maneiras de praticar e até nas áreas de inspiração, que também precisam de dedicação.

Uma reclamação constante é quando ouvimos as pessoas falarem que pediram dinheiro e os daemons da Goetia lhe apresentaram um emprego! Puxa vida, você ainda vai ter que trabalhar! Então que tal melhorar isto? Ter ajuda para ser melhor visto por clientes em potencial que vão pagar pelo seu serviço? Ao invés de trazer clientes até sua porta, eles poderão aparecer com sugestões ou inspirações para mudar alguma coisa ou atuar noutras áreas que vão melhorar isto.

E temos é claro o Amor. Bem, quando se trata de amor, de forma geral os daemons da Goetia só vão ajudar a unir pessoas que tenham algum tipo de interesse mútuo. Nenhuma magia “cria” Amor. Os espíritos da Goetia vão “inflamar”, “causar o amor possível”, “procurar amor”, “incitar” ou “estimular”. Ou seja, caso este exista na outra pessoa. Falando francamente, só se existir uma possibilidade para isto, pelo menos latente. Mas ninguém vai se atirar aos seus pés com toda certeza.
Mas é bom observar que nas diversas sociedades ao redor do mundo, muitas pessoas estão juntas por afinidade, amizade, companheirismo e até sexo. Nem todos relacionamentos e casamentos são por Amor, mas começam por amizade e parceria. Com o tempo, desenvolvem um forte vínculo que pode até tornar-se Amor. Então é preciso observar isto também. E nem preciso citar os casamentos por interesse ou conveniência. Basta que ambos tenham algum motivo para isto e não é da minha conta.
O problema é quando apenas um dos lados quer e o outro não. Aí lamento, mas aquela coisa popular de “trazer a pessoa amada na marra” não funciona. Boa parte senão a ampla maioria das pessoas que vão atrás deste recurso milagroso, estão apenas desesperadas e desejam ter a posse, a propriedade sobre outra pessoa. E isto não tem nada a ver com Amor.
Existem espíritos muito baixos que são usados para isto, geralmente do mundo dos mortos e o que vão fazer é destruir a vida da pessoa, literalmente, e talvez ela apareça de volta já a beira da morte em último desespero tentando escapar da morte certa. Geralmente será a destruição da vida de ambos que pode tornar-se um verdadeiro inferno. Vi muitos casos assim que testemunhei pessoalmente e não é nada agradável de se ver. E lidar com tais espíritos também é muito perigoso e podem voltar-se contra o magista também. Ou seja, caso eu aceitasse uma coisa destas, só por valores realmente muito altos, exige muito trabalho, pode demorar muito e as chances mesmo assim, muito pequenas, exceto o sofrimento garantido por mais tempo.

Outra área bem popular é Sexo. Prazer.
Muitos olham a respeito pensando em novas conquistas. Mas pode estar relacionado também aos que já tenham um relacionamento e querem mudar algumas coisas. 
Sexo não necessariamente precisa de amor. Pelo menos alguma amizade mesmo que temporária. Mas ainda assim precisa descobrir algum tipo de interesse. Ou seja, os espíritos vão influenciar na parte de atração e desejo. Novamente, os daemons não vão jogar alguém aos seus pés. Pode-se trabalhar um pouco melhor nisto, mas mesmo assim, estaremos criando possibilidades, e algumas poderão passar despercebidas e podem não se repetir.
Novamente, falo de possibilidades. Já tive algumas coisas bem interessantes e se estamos alertas quando as oportunidades surgem, estas é claro deverão ser aproveitadas.
E repetindo, alguns efeitos nesta área podem ser temporários e precisam de renovação de tempos em tempos.Um conhecido trabalhou com Sitri para esquentar seu casamento, com resultados bem interessantes, mas observou que recebia os resultados e depois de um tempo as coisas voltavam ao que era antes. Neste caso, faltou que ele desse uma continuidade para que as sementes plantadas continuassem a crescer e desenvolver mais aquele lado. É o mesmo que usar magia para conseguir um emprego e pensar que não precisa fazer mais nada. Pelo contrário, a pessoa vai ter que realizar as tarefas e mostrar que merece manter o emprego que conseguiu.


Posso “comprar” um pacto com espíritos da Goetia? 

Boa parte das pessoas associa a idéia de pacto com algo do tipo “vender a alma ao diabo” em troca de coisas.
Pensam que vão fazer um único ritual e com isto resolver todos problemas de uma vez.
Não é assim.
Um pacto basicamente é uma espécie de compromisso para trabalho “mútuo”. Ou seja, a pessoa no mínimo teria que cultuar a entidade de alguma forma, por exemplo, fazendo oferendas periódicas e até mudar sua vida para entrar nalgum tipo de religião ou até uma espécie de seita da qual não vai se livrar tão facilmente, talvez pela vida toda, mesmo que nã goste dos resultados. Mas pela parte dos espíritos, os resultados não são milagrosos. A pessoa que se tornar um grande astro do Rock. E mal sabe tocar violão. Novamente, o resultado vai ser na forma de oportunidades para estudar, praticar, galgar toda escalada e sendo colocada à prova o tempo todo. O espírito pactuado vai de alguma forma estar ajudando para isto, mas o nível de compromisso é muito maior e pode estar totalmente fora do que a pessoa realmente desejaria fazer. Muitas vezes os objetivos desejados se perdem pelo caminho.
Então seria melhor apenas realizar atividades em magia quando necessário ao invés de um compromisso tão extremo. Estes são mais próprios quando alguém realmente é praticante das artes ocultas e depois de muitos anos de estudo e entendimento.
E novamente, nenhum pacto vai realizar milagres da maneira como vemos nos filmes de fantasia.

Ok, mas ainda assim seria possível “comprar” o pacto com algum espírito que faça isto?
Na minha opinião, não exatamente.
Se a pessoa por si mesma não é magista, teria que se tornar um, aprender doutrinas e muitas coisas que demoram anos e anos de estudos apenas para chegar num patamar mínimo de poder fazer por si mesmo as coisas mais básicas. Ou seja, muito trabalho só para ter o mínimo para manter a sua parte do pacto funcionando. Até lá, sem muito resultado por parte do espírito.

Esta ideia de “comprar pactos” tem de certa forma a ver com a ideia de talismãs.
Estes sim pode ser adquiridos de um magista que vai preparar o talismã da maneira própria para as áreas desejadas e energiza-lo adequadamente através da consagração para os espíritos que estarão associados a este.
Mas mesmo um talismã, precisa uma certa renovação periódica, pelo menos anual. Porém aí sem compromisso maior. Geralmente acender uma vela ao lado do talismã, quem sabe colocar um copo de água e uma fruta como oferenda e deixar ali por algum tempo. Nada mais que isto.
Fácil de perceber que não precisa maiores vínculos, muito menos vender a própria alma, ou dedicar sua vida só porque buscou um recurso para alguma área específica.

Nesta ideia comparativa com talismãs, e voltando aos daemons da Goetia, assim como alguns outros espíritos em certas áreas (mas nem todas), um magista pode ajudar fazendo o trabalho ritual necessário para apresenta-lo ao espírito e pedir que este trabalhe em seu favor.
Na prática é exatamente o que faço ao evocar um daemons da Goetia. O ritual não é para mim, mas para que eu peça que trabalhe em favor da pessoa. Isto não é um pacto, mas apenas uma atividade em que a pessoa pede o que quer, paga por isto e esperamos algum resultado.

Assim podemos repetir para destacar bem, que no caso de algum tipo de pacto, se a pessoa for um magista, portanto praticante das áreas mágicas, fazer rituais e todo trabalho associado a sua disciplina diária faz parte.
Mas quando é uma pessoa comum, no sentido de ser apenas beneficiária do trabalho de outros, com toda certeza esta não vai ter o envolvimento que um praticamente formal das áreas ocultistas vai ter. Então por que se conectar a um destes espíritos de forma mais permanente?

Pessoalmente, não vejo o menor sentido em oferecer “iniciações na Goetia” quando tudo que a pessoa precisa é de alguém que trabalhe para ela. Alguns que vi por aí na verdade mais parecem estar buscando súditos para seu próprio culto.
Nem todas pessoas serão magistas ou bruxas, apesar do muito que se fala por aí.
Quando eu preciso de roupas, eu compro de quem sabe fazê-las. Quando eu preciso de batatas, eu as compro na feira próxima. Eu não preciso me tornar alfaiate ou fazendeiro. Deixo isto para quem tem as necessárias habilidades que eu reconheço não ter.

.’.


Naquilo que eu faço, na maior parte das vezes as pessoas virão até mim, teremos um determinado tempo juntos e depois elas vão seguir em frente nas suas vidas. A duração pode variar bastante, mas meu objetivo maior é que cada um se torne independente e tenha seu caminho pessoal.
De novo o trabalho de aconselhamento. Eu não quero súditos ao meu redor. Meu trabalho é apontar caminhos e ajudar para que cada um siga na caminhada para ter uma vida mais plena e próspera.
Alguns nem olham para trás ou enviam um cartão postal. Outros serão referências ou recomendações para que outros venham e assim por diante. E cada um à sua maneira será mais uma semente que procuro colocar em solo fértil para que uma nova vida surja e floresça e no futuro, será parte da vida de tantos outros.

P+
23/06/2017

.’.

Leia também: 


.’.

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Goetia Triangle of Art And The Time To Do The Work




Goetia Triangle of Art And The Time To Do The Work



For a long time I wanted to do a new Triangle of Art for my work and I decided to make the new triangle using the names in Hebrew.

So to start I had to deal for something that happens sometimes during magickal practice: get the needed material.


Geting materials for magickal practice

To work on magick, witchcraft, whatever, you may need some material one and other time. This includes candles, incense, herbs and tools.
And for ceremonial magick this often means the need to work a lot more.
It's not something easy nor cheap because the work and training needed.
Need long years studying, practice, learning how to make many things and to deal with a lot of special materials and tools.
And most of times, no shortcuts, sorry. Except for some materials, like gold and some other materials we can use the correspondence tables and sometimes, the needed tool can be done even on virgin paper. But please, never take this so easy.
You have to be sincere on your intent. If you really need to use something simple to make your tools, be sure to do the best you can. And be sure to explain to the spirits you will be working about why you needed to work that way. Decent true spirits will understand your reasons and when asked, will point you on the direction to improve your working tools.

And here a gold tip: Master Asterion presented a very nice way to make Gold Lamen, and it is very suitable to many tools:


But if you got some spirit who even try to make you fuck your life because "they want" something that will cost even your health, my suggestion is to dismiss and even banish the spirit. Such ones are like vampires and most probably just want to be feed without any valid return.
 
Glad we have with time, centuries of work, some new methods and new materials, as magicians around the world have practiced, made experiments, researched to discover it and got solid results. For example, we know there is not need for sacrifices of blood most of times. I learned this in the 90s using fruits as sacrifice and later extended it. And still, due a ATR line I was, I had thousands of animal sacrifices in my hands I'm sure 99,99% was no needed. And many ATR lines today does not use blood, except for special cases.
About using magickal herbs to this use Aaron Leitch write very well at "Blood Substitute – ‘Solomonic Herbal Holy Water’".

Another aspect about the tools of the Art, is some of that is very desirable you have to do it by your own hands.
Studying the grimoires, and most of other magick areas, you will find all time instructions about doing yourself the knifes, swords, sticks, woodworks, seed and grown your herbs, make your ritual clothes, paint your seals, even how prepare special inks, make oils, etc. 

Ok, if you have the resources, for sure is very when you have a reliable source of magick jewerly tools for example. I would love to have some of that. We have some talented magicians working to make fantastic tools and jewerly and they are observing all the planetary and material aspects and even consecrate it for you.  For sure not cheap. But if you can, this save a lot of time and you will have a piece of art. It's Ok.

So do what you can the best way you can.

Remember, the Great Work is the result of your work. You is the one who need to work.
If you worked to be able to pay someone for something special, Ok.
But never, I repeat, never do that with a mind of "doing it for cheap".
If you does not value the effort, be sure the results will be related.

What you do is part of the Work. So it must have a meaning to you.


So to get the materials to make tools


To me, this means sometimes research and walking a lot and work a lot to find what I need.
I will comment later, some reasons why this may happens sometimes. 

In this specific case for a new triangle, it took some years.

I want to also comment about some materials I had difficult to get.
Someways such things came together with "aditional results" (or curious or funny or as teachings) at some areas of my life, like knowing interesting people or having results far from what I was expecting or "by coincidence", that time was happening a topic to learn a lot from others magicians dealing at some work in the same area that time.  Remember the old tale:"when you are ready the teaching comes".


Even living in a big city area, some materials can be very hard to find. Many people have the same problems because some ingredients does not exist at your region or country.
I just remember how many times people asked where to find black candles, something very common in my country. But at same time, all that oils people at USA find easy, we have not. Same for herbs, roots and many other materials.


Also just due some reason, you won’t find nobody who want to sell that. I say people and companies who have what you need and they just refuse to sell due the most stupid reasons. What? That happens!


I went at many places and was interesting how just nobody wanted to sell a piece of wood cut in the way I wanted. To say better, nobody wanted to sell even a complete board no matter the price and I stated I was not worried about the price! 

Strange?
Yes, very strange.

Some weeks ago, I find this piece of wood, and this is one part of my life story for sure. 
I just went again into a hardware store near my house, they also sell wood, but not the kind I needed. For some reason, that day the store owner commented about a neighbor, just in front their store. An old man who make furniture. Hey! He have no signs in front of the house, nothing. But I already had listened about him some two years before, people from my city talk very well about his work, but I never found where he was!
And that was an interesting meeting. The guy had an entire board unused for a long time as he did a wrong buy long time before, and someways he had nothing to use that.
So he was very gentle, despite all the work, and take near one entire hour preparing and cutting the wood. He didn't knew the maths for the triangle, and I shown a practical method. He loved it. So he made his work and the price he asked after all was so ridiculous to make me shy. And we had a nice time talking about travels and nature places and some other topics. A blessing to me.
And about some events having more results, the hardware store had a garden bench like I was after too for many time! Now I have a garden bench too! Yeeeeaaaaahhh!

So I get it!

Going after materials , when I needed brute bee wax to make seals it took months too. And I live in a region with a lot of honey farms, producer's groups, etc. Nobody had wax that time! Walking, searching, calling by phone. Ok, all that added energy to the seals I did and the additional result was a very interesting topic in a forum sharing common experiences.


For my circle to the Goetia work, I had to walk some three months just to get the cotton fabric I was on need. As I worked developing specific software to manage the production area of clothes companies for almost two decades, so I guess I had a good idea where to buy fabric and knew all major stores and no place had white/brute cotton to sell.
And to add another "extra" result, this time I worked different. The saleswoman was really gentle, nice, sweet, inteligent and... uhmm... something told me to let her (I found she was married). Anyways, I had some minutes of sweet talk. May be or not?  LOL... 


Cheking the new triangle size to fit space in my room.
This is a 7 foot size circle so I can use the triangle at all directions.



Because all this lets me comment about four points about the effort to get the material and ingredients you need.
For sure does not think to get proper material is always easy. Some have specific characteristics, not the kind you will find easy at any store.

  • First, many times this is just part of your work. Since the starting point, often the spirits are already near and may do you work just to add power to your intent. At some religions areas like the ATR lines I knew, this is even a kind of test to you.
  • Second, there are materials really hard to find. So keep calm. There are ingredients, like herbs and oils you won’t find at your region or country. So the alternative is study the correspondences, find alternatives or even making your own recipe.
  • Third, may be possible is just not time to you work on that. Due some reason, anything stop to work. This happens even at working practices. For example, I had prepared seals, oils, etc. for entire rituals and due some reason, I had some other activity to put attention and all that material went forgotten in a cabinet for years.
  • Four, and this is important to think, may be just is not the right time and despite what you do, it won’t succeed that way. About this think about your guardians.


So is always good to remember: do a reading to get information about what is happening and why.


For sure you must have a very decent degree at least one oracle. For example, the Tarot. This is one of the very basic steps you need before trying such works.

Another you must know and be strong on it is cleaning and banishings.
Guess how many times I tryed to contact someone to get material and the result was a really bad eye or just contacting some very bad place full of that bad energies...
And for sure, never atempt such operations on magick without all the previous needed experience. This is not a matter of gift of birth. This help a bit, but you need the practice.



I often comment as being a practitioner I used to work with what I can, the better way I can do.
And there are things I can’t have, even being desirable, but I put my efforts to get better materials and tools.
This is my life and what I do, so I put all my daily effort on that. Each one may know what level to do. 


I have working with the Goetia for some years, and started the most humble way with big paper made triangles, in a house where I had just a really small place to work. Just open your arms and you have and idea.

When I moved to a bigger house, I was able to use a bigger circle and started to draw the triangle in a two foot size black stone with consecrated chalk. And it have worked too.


As most anything I have done in these years, each time I add a new tool, doing corrections and improvements in the ritual texts and invocations or just improve the place, I observed in many ways, the rituals become stronger and more impressive.So keep walking!


Yes, the spirits are there watching what you do, and they are working too someway.
This is part of something very important: to be always respectfull with the spirits.
In the same way, the true spirits will see you are doing your part, and this add for the respect they have for you. 

You can not buy respect. Remember this if you buy ready tools or try to get shortcuts, as I commented before.
Do it with the most sincere desire and true effort.
You can only get respect as result of sincere work.

You may see this work even as part of an offering you are doing to work with them.


Just to compare, think for a moment, if you have a date, a romantic dinner with your loved one, what you do? Have a bath, wear nice clothes and prepare the food and place for a good time! Well, if you are not doing this, may be interesting to think how is you love life… You have to do your part! LOL…



The Triangle and Names


About the position of the names in the triangle.



The most know schema is like the following from the Lemegeton edited by J.Peterson, a great reference source:




Magical circle and triangle, from Sloane 3648.
Source: Lemegeton - Clavicula Salomonis - J.Peterson - Esotericarchives


Just to point something you will find at most ancient texts: the names are outside the triangle, as comments.
I can only think the original authors put the names there to remember the magician what position means. OR NOT.
But this become standard and most everyone have used triangles with the names inscribed/painted on the borders.
I chose to keep that too just because is one more thing I like to see inscribed as a remember for the reasons why the names are there and what they means.

But this affects the triangle size and the inside circle.



About the sizes:

The size in the grimoires is 3 foot (near 90cm).

I observed many modern magicians done the triangle this size, with a larger border with the names inside. I kept this idea but observe this reduce the circle size. Some are lesser others are bigger.

At the grimoires you will see the circle usually use all space available inside the triangle.

Look again the previous example and you will observe the circle use almost the entire available area inside the triangle.


But when I finally get the wood piece I wanted for years, I was so happy I forgot this. And also because for years I have seen all triangle types, at all sizes. 


So my personal note for a future work: my idea is to get a triangle a bit larger, to do an entire working area of three foot, plus a margin to the names.


So I went into the painting work and the margins really disliked me.

This is something I took sometime to think after my first paint. I really disliked it. I really felt first uncomfortable for some reason so I put the triangle at my room and looked for it for some days. I watched it over my desk for some an entire week.

Then I realized for obvious reasons the circle was too small for the triangle size and the border too large.

So I painted it all again and reduced the border to 8cm (near 3,15 inches), but still a size to use large characters for the names, and I painted the circle again for a bigger size.

Just to explain, or repeat something I comment often: I'm not good at artcrafts, and I have not steady hands to such works, so I have to respect my personal limits.
So I kept a large border because I won’t be able to paint decent characters in a lesser space.


Now some steps I had

After initial paint and doing it again, I made paper stencils with the hebrew names.
I had to redraw the names using Inkscape software and print it at the needed size.




The stencils helped a lot, as my hands are not so good painting.

Because the black background, I have to paint first white and then use the red paint.

But the paper I used as mold got wet with the paint and it glued that over the board!
So, here another note: remove the stencil just after paint, do not wait to dry!

The paint was absorbed by the paper and that glued... what a mess!

Trying to cleanup all glued paper.

So, the obvious result was: I had to paint it all again!

Ok, keep working!


If I will have a spirit as guest to my ritual, is easy to think I want offer a better space. When you are making your tools, this is something important, may be you can’t be perfect, but work to do the best you can.


About the names


Thanks to the work of many scholars and others practitioners, I searched and revised the material from many sources. There are a list of sources at end of this article for more information and complete research texts from other authors.

I repeat: I'm not a scholar, just a practitioner, but be sure I have to read the books, take notes, research the material and external sources, etc. In my case often I go further as I can even to some originals just to see how it was centuries ago before chose the way to do it as there are many different ideas sometimes.
Only then I will have an idea about what and how to work. 



This is the Greek names, the Hebrew ones and their text:

Tetragrammaton - IHVH

Thou God of Almighty power, be ever present with us to guard and protect us, and let Thy Holy Spirit and presence be now and always with us;




Primeumaton - Elohim
Thou Who art the First and Last, let all spirits be subject unto us, and let the Spirit be bound in this Triangle that disturbs this place;




Anephezaton (or Anaphaxeton) - Tzabaoth
Thou great God of all the Heavenly Host;




Michael
By Thy Holy Angel Michael, until I shall discharge him.






These are also the words to talk when you consecrate the triangle. It's something with really few material.
For more information about consecrating Solomonic ritual tools, I strongly suggest Aaron Leitch's book Secrets of the Magickal Grimoires for reference about that. If you have not this book yet, be sure it became a real classic and a "must have" for grimoires practice and will save you a lot of time.




Now observe the name’s position in the triangle:

The greek names, like latin, are read left to right, so the words are clockwise direction. Same for Michael.

So, with greek names we have: 
  • Tetragrammaton at right side;
  • Anephezaton (or Anaphaxeton) at left side;
  • Primeumaton at base;
  • Michael is writen starting at left side.

But Hebrew is read right to left. So the names counter-clockwise. Same for Michael.
So for hebrew names we have:
  • Tetragrammaton IHVH at right side;
  • Primeumaton Elohim at left side;
  • Anephezaton (or Anaphaxeton) Tzabaoth at base;
  • Michael is writen starting at right side.


This is way I changed the position of the names in the triangle.

Many authors have similar opinions, but for sure, some may vary a bit about what name use.


Nick Farrel had chose Adonai instead of IHVH due pronouce too, but here is something I had my own opinion as I have used IHVH in hebrew since the 80s at many works, so became an habit.



And so, all effort had a result:
The ready triangle over the garden bench I got.

And this is the result after some years.

Some tremble lines due my hands, I painted the entire triangle four to five times again, had to remake all characters, and to do some experiments too.
Total time: 49 days from get the wood and start at same day working until I found it was ready to consecrate and use it. Plus all previous time researching it and colleting information. Just to compare, the circle needed some six to eight months of total time.
I found funny newbies who start from zero level and tryed something for few weeks and does not understand why they have no results! 



But I still had some funny part during the first ritual using the new triangle.
Yes, I commented before each work sometimes have additional results. This time was a funny part.

For the first ritual with this new triangle, I chose to do a formal invocation for a spirit I have worked, King Paimon, explaining at start I was doing a complete rite to consecrate the new circle.
And he is one who know a lot about everything. So my intent was to make this event also a kind of offering to his knowledge and asking to learn more too and etc.
Well, as he have been called before, he is already exorcized, just to remember, once you get more contact (to say so) you can call the spirit near direct. But as a King he like that formal part too, so I continued. I observed Presidents also like that formal procedures.
So I consecrated again my tools, the triangle and did prayers thanksgiving for the material I got and the work being ready and did the invocation. 
Well, he was near since my first prayer presenting himself as usuall with sounds and a strong presence feeling.
But all the time I was feeling something behind me, but I just didnt't looked behind. 
And guess what?
I pointed to the triangle and asked to him appears and stay "inside the triangle". 
And he told in my mind something like:
-Uhm, Ok, but wich of the two triangles you want I choose?
Only then I look behind me and realized the old triangle I have used drawn in the black stone still was there at the other side of the room leaning in the wall. And it was consecrated and ready to use!
And the nearest candle had burned near to the base, ready to burn the circle!

Know that moment you get the spirit told you: "Hey stupid, you forgot to release the old triangle!".... LOL...
Well, Kings have humour too! 

So. now lets continue the work.


 
Some sources and references:



http://gilberttheoccultist.blogspot.ie/2010/11/triangle-of-art-translated-and.html

Nick Farrel: http://www.nickfarrell.it/triangle-of-the-art/
The Digital Ambler: https://digitalambler.wordpress.com/materia/img_0060/
Enoch Bowen: http://theoccultandmagick.blogspot.ie/2011/06/reconstructing-solomons-triangle.html
Studio Arcanis forum: http://www.studioarcanis.com/viewtopic.php?f=9&t=706
Aaron Leitch:  Secrets of Magickal Grimoires. 
Golden Dawn Glossay: http://wolf.mind.net/library/ancient/qabala/kabgloss.htm



Sorry bad english!

.'.

P+
28/07/2016

.'.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...